grafico
grafico
Turismo Parque Nacional Los Glaciares (Glaciar Perito Moreno)

Turismo Parque Nacional Los Glaciares (Glaciar Perito Moreno)

O Parque Nacional Los Glaciares, criado em 1937, é o reino dos gelos continentais, geleiras, lagos e bosques. Ocupa uma superfície de 600.000 hectares localizada no sudoeste da Província de Santa Cruz, ao Sul da Argentina.

Sua espetacular beleza, o interesse científico que gera e a fauna em perigo de extinção que protege fizeram que no ano 1981 a UNESCO o declarasse Sítio de Patrimônio Mundial.

O gelo domina a superfície do Parque: são 2.600 quilômetros quadrados de campos de gelo, dos que descendem 47 geleiras maiores.
A estrela de todos é o Perito Moreno, sobre o Braço Sul do Lago Argentino, com um imponente frente de 5 km. e uma altura de 60 metros. Embora, aquele de maior tamanho é o Upsala, com 10 km. de largo e 50 de longo.

Deve seu nome a um arbusto espinhoso e de flores amarelas típico da região, diz-se que quem experimenta seu fruto morado sempre regressa à Patagônia. É possível acessar por ar, seu aeroporto conta com uma reluzente pista apta para todo tipo de aeronave comercial, o por rodovia asfaltada desde Río Gallegos.

Uma completa infra-estrutura turística em hotéis e restaurantes de todo tipo, confeitarias, discotecas, cassino, lojas comerciais, agências de excursões e todos os serviços para o viajante se somam à beleza imponente das paisagens que a rodeia, e fazem de El Calafate a porta de entrada ideal para explorar o Parque Nacional Los Glaciares.

Parque Nacional de los Glaciares
Glaciar Perito Moreno.

Mais para o norte se encontra o maciço Fitz Roy, de aspecto imponente, desafio para escaladores com seus 3375 metros de altura e de muito difícil ascensão.

A floresta desta zona é a característica subantártica com lengas, ginjeira e muitos arbustos como o notro e o calafate, emblema da zona.

Entre a importante quantidade de fauna merecem ser destacados o huemul e a ema petiça, que corre em grandes manadas na zona da meseta.

Fitz Roy

Excursão ao Fitz Roy

Glaciar Perito Moreno


Todos os lagos e as geleiras do Parque Nacional são imperdíveis já que possuem uma beleza incomparável e características que os fazem especiais uns e outros. A mais conhecida e imponente das geleiras deste Parque é o Glaciar Moreno, que se expande sobre as águas do Braço Sul do Lago Argentino, com um frente de 5 quilômetros e uma altura de mais de 60 metros sobre o nível da água.  Da geleira caem continuamente pedaços de gelo de diversos tamanhos, produzindo ruídos realmente atroadores e impressionantes.

Periodicamente se produz um fenômeno singular. No seu lento deslocamento a geleira supera o Canal de los Témpanos e atinge a beira oposta, formando um dique de gelo que obstrui as águas do Braço Rico do Lago Argentino. O desnível das águas da represa pode alcançar os 20 m e sua pressão causa primeiro filtrações e após um túnel de gelo na geleira, este restabelece a comunicação das águas e culmina com uma ruptura do “ponte de gelo”, no que provavelmente seja um dos eventos naturais mais maravilhosos da natureza.

Além desta ruptura periódica, o espetáculo é constante e deixa uma lembrança inesquecível o poder presenciar os desprendimentos de grandes blocos de gelo, o estrondo, as ondas que produzem e os azuis blocos derivando no lago.

Goza de um microclima seco (300 mm ao ano) muito benigno e temperaturas agradáveis para sua latitude, a média máxima em verão é de 18 º e a média mínima em inverno é de -2 º. Os melhores meses para visitar a região são de novembro a março, são mais cálidos e menos ventosos. Por outra parte e devido a que nestes meses recebe uma maior afluência de viajantes, há mais serviços disponíveis (transportes, hospedagens, campings, etc.).

Passeios Imperdíveis


Há numerosas possibilidades para percorrer a zona; algumas das quais são descritas a seguir:

Uma excursão que cada dia tem mais aceitação é a chamada “minitrekking pela geleira”. A mesma se inicia no embarcadouro “Bajo de las Sombras”; após 20 minutos de navegação frente à parede sul da geleira, descende-se na beira oposta do Brazo Rico para após continuar com uma caminhada de 30 minutos até o pé da geleira.

A partir de aí e prévia colocação de pitões para gelo, segue uma caminhada de 90 minutos sobre a geleira atravessando um terreno irregular de gelo onde é possível ver pequenas lagunas interiores de uma cor azul intensa.

Outra excursão muito recomendada é aquela que percorre o Braço Norte do Lago Argentino. A navegação parte de Punta Bandera (50 km) e transcorre entre grandes blocos até se aproximar ao frente do Glaciar Upsala, que com 50 km de longo e 10 km de largo é um dos maiores do parque.

Habitualmente se faz uma parada em Bahía Onelli, onde, após uma caminhada de 800 m pela floresta, cegando à pequena laguna de igual nome, na que flutuam inumeráveis blocos que se desprendem das geleiras Onelli, Bolado e Agassiz que confluem nela.

Glaciares & Vino
Outra excursão que deve incluir seu roteiro é aquela do Lago Roca (48 km) em cujo trajeto se passa por importantes fazendas da zona e a paisagem alterna entre os arbustos da estepe patagônica, os bosques de ñires e lengas e as cristalinas águas do lago, ideais para a pesca de salmonídeos.

Cuevas de Gualichu. Pinturas Rupestres.Cuevas de Gualicho. Pinturas Rupestres.

Um amplo sistema de passarelas e escadarias estendidas frente à geleira, na borda da Península de Magallanes, facilitam sua observação desde diferentes pontos e permitem tomar vistas desde todos os ângulos. Também é possível se embarcar em um Safári Náutico de uma hora de navegação a 300 m da parede lateral da geleira e obter primeiros planos dos desprendimentos e dos blocos.

Cidade El Calafate


Ao pé do cerro homônimo e à beira do Lago Argentino se levanta a pitoresca vila turística de El Calafate, localizada a 315 km de Río Gallegos, capital da província de Santa Cruz, no coração da Patagônia.

Recostada sobre a ladeira das mesetas que a rodeiam destacam suas edificações com tetos em duas águas, os bosques de lengas e ginjeiras e os coloridos rosais que dão um caráter particular a esta vila de 4.000 habitantes, cuja meta é fazer que o visitante se sinta como na sua casa.

 

Formadas pela erosão do vento sobre grandes paredes esponjosas estão as Cuevas del Gualicho (9 km) em cujo interior se observam pinturas rupestres.

Finalmente a pequena localidade de El Chaltén, considerada a capital nacional do trekking, localizada a 216 km ao noroeste de El Calafate e é possível chegar após 4 hs. de rota no meio da paisagem virgem da extensa estepe patagônica. Esta vila está orientada a escaladores e montanhistas que desde aqui partem para ascender aos cerros Fitz Roy e Torre.

arriba  home

grafico
grafico
grafico