grafico
grafico
Vinícolas Mendoza

Rota do vinho Argentina

Patagônia (províncias de Río Negro e Neuquén)

Esta região da Patagônia se estende sobre a margem inferior dos rios Limay e Neuquén e soma mais de 3.700 hectares de videiras. Os solos são de textura grossa e pedregosa, ideal para a videira. Esta é a região vitivinícola argentina e mundial mais austral e de menor altitude (aproximadamente 400 metros acima o nível do mar). O clima é continental, temperado seco, com grande amplitude térmica e presença de ventos.

Destaca-se a localidade de San Patricio del Chañar, em Neuquén, um verdadeiro oásis vitivinícola recentemente desenvolvido por empreendimentos que apostaram aqui às excelentes condições agro-climáticas. As adegas fixadas em San Patricio del Chañar são referentes na inovação do vinhedo e na construção das suas adegas. E isto se traduz em vinhos com notas excelentes.

Viedma, a cidade capital de Río Negro, foi fundada em 1779 por Francisco de Viedma y Narváez. É considerado o primeiro estabelecimento dos colonizadores na Patagônia. A cidade se encontra dividida pelo Rio Negro que conforma a linha divisória com a província de Buenos Aires.

Vitivinicultura
Desde o departamento de Confluencia em Neuquén até General Roca em Río Negro se desenvolve a vitivinicultura mais austral do país. Com San Patricio del Chañar e Añelo encabeçando o empreendimento, os rios Limay, Neuquén, Colorado e Rio Negro são os encarregados de irrigar a zona.

Patagonia
Adega NQN. Neuquén.

A ecologia da região é ideal para a obtenção de vinhos brancos como Chardonnay, Semillon e Sauvignon Blanc; neste último, além de seus descritores típicos, são apreciados seus aromas defumados difíceis de encontrar em outras regiões do país. São obtidos grandes exemplares de tintos. O Pinot Noir e o Merlot encontram aqui um caráter original por ser variedades de ciclo curto que atingem nessas latitudes a plena maturação.

Neuquén

A província de Neuquén mostra majestosas paisagens por onde seja mirada. Desde seu ponto mais austral até a sua capital, esta província impõe os clássicos do turismo no calendário nacional. A cidade capital homônima foi fundada em 1904, por Carlos Bouquet Roldán, onde conflui uma pujante vida comercial e industrial que dá força à província.
Sua geografia está circundada pelos rios Limay e Neuquén, quem dão vida a espetaculares espelhos de água que contrastam com a Cordilheira dos Andes. Villa La Angostura e San Martín de Los Andes são pontos obrigados para os turistas que decidam visitá-la. Também El Chocón é uma localidade que atrai científicos de todo o mundo, devido a sua riqueza paleontológica, sede dos mais estranhos dinossauros.

Río Negro

Esta é uma das poucas províncias da Argentina cuja geografia abrange desde a cordilheira dos Andes até a beira do oceano Atlântico. Sua orografia permite percorrer os mais altos cumes em San Carlos de Bariloche, com vista para o lago Nahuel Huapi, com águas cristalinas na localidade de Las Grutas no departamento de San Antonio Oeste (no oceano Atlântico).

Adega de Fin del Mundo

Adega del Fin del Mundo. Neuquén.


Seu clima é frio e a zona tem muito baixa altitude, ao redor de 200 metros acima o nível do mar, permitindo uma correta maturação das bagas. Embora os mostos desta zona tenham uma elevada percentagem de ácido málico e menor açúcar, fornecendo ótimas condições para o cultivo de Merlot e Pinot Noir. As variedades melhor cultivadas correspondem nos tintos a Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec, Pinot Noir e nos brancos a Semillon, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Riesling e Torrontes de Río Negro.

arriba  home

 

grafico
grafico
grafico