grafico
grafico
Vinhedos e vinicolas na Argentina

Vinhedos e vinicolas na Argentina

Introdução

Diversidade, originalidade nas expressões das cepas, ótimas condições agro-ecológicas são qualidades que fazem da Argentina um dos pólos mais atrativos a nível mundial para a elaboração de vinhos de excelente qualidade.

Uma das fortalezas mais importantes desta vitivinicultura completamente continental é a harmoniosa conjunção de três pilares fundamentas: clima, solo e cepa.

Inverno: neve nos cumes, neve no vinhedo

Tempo de poda, nova ocasião para caminhar as vinhas e preparar as videiras para um novo ciclo produtivo. A poda é uma prática agronômica vital para guiar o desenvolvimento da cepa e determinar a futura produção. Obreiros qualificados são os encarregados de fazer brilhar as tesouras entre os braços da planta. Os sarmentos -a porção de talo que se corta- irão para animar o fogo do forno ou para gerar novas videiras nos viveiros onde são reproduzidas as plantas.

Viñedos y Variedades

Nos mais de 210 mil hectares de vinhedos, um amplo parque varietal logrou se adaptar, alcançar a plenitude nos seus caracteres e oferecer ao mercado memoráveis exemplares das cepas clássicas, junto a uma gama de variedades que estão sendo redescobertas e potenciadas; outras, em processo experimental prometem para os próximos anos “pérolas” cultivadas nos solos argentinos.

 

As quatro estações do Vinhedo Argentino


O vinhedo, com a Cordilheira dos Andes como imponente cortina, é a paisagem emblemática de grande parte do Oeste argentino. Graças ao trabalho do homem, esta região caracterizada pelo clima desértico transformou-se em um fecundo oásis. Assim, todo o ano o cartão-postal vitivinícola se tinge das cores aportadas pela natureza e seu pessoal.

Vinhedos e Variedades

Cada temporada, quando se inicia o ciclo para a videira, um novo design começa a desenhar as linhas do vinho que a adega deseja obter. Y esse design surge necessariamente do vinhedo, do clima e do solo onde está plantada a cepa e dos labores culturais que sejam praticadas.

Já que a videira é uma planta trepadora, o sistema de condução é fundamental para orientar o crescimento dos brotamentos. Assim, após a poda, os vinhateiros atarão os ramos ao arame para fixá-las e ordenar a futura distribuição dos cachos com o fim de lograr a melhor exposição solar.


Setembro de amor, cores e primavera


Em setembro e com os primeiros brotamentos, a vinha adquire novo ritmo. É momento de lavrar um pouco o solo para facilitar a rega e tirar os matos. Aproximadamente em outubro, o homem da vinha afina sua mirada para se segurar de que os brotamentos estejam bem iluminados. Para isso, se é necessário, pratica-se uma cuidadosa desfolhação que melhorará também a ventilação das plantas e a sanidade do vinhedo. Caso for necessário, também são eliminadas, “raleadas” ou “desbrotam” alguns pequenos cachos em formação para que a força da videira se concentre em frutos mais pequenos. Assim são obtidos vinhos mais expressivos e de melhor corpo.

Durante a primavera e os primeiros meses do verão, entre setembro e dezembro, a rega se sistematiza com o fim de dar à planta só a água necessária para seu desenvolvimento.

 

Verão: celebração do fim do ano e colheita de esforços

Momento fascinante: a alquimia do cacho se traduz em cor. É o “amadurecimento”. As uvas brancas passam do verde amarelento para o dourado e as tintas matizam o incipiente vermelho com lampejos pretos, azuis e violetas.

Todo está pronto para a vindima. As cepas brancas mais prematuras começam a ser colhidas para fim de janeiro e os tintos se fazem esperar inclusive até começado abril.


Viñedos y Variedades

 

Março, fim da colheita e começo do outono


Em março, uma vez findada a colheita, o vinhedo luz todos os matizeis do ocre e do vermelho. A planta necessita recuperar seus nutrientes e, para isso, os lavradores aram a terra a fim de limpar os sulcos e oxigenar o solo. Será freqüente ver, então, os arados percorrendo filas e os cavalos, nas pequenas propriedades, aportando sua nobreza à cena.

A Festa da Vindima tem seu cenário natural entre as filas. Homens e mulheres, com suas tesouras e seus chapéus, recolhem cuidadosamente o fruto amadurecido ao sol. Estes cachos, que já anunciam o vinho novo, irão da vinha para a adega. A celebração continuará nos lagares e os tanques. Mas o vinhedo repousará no descanso. A tarefa cumprida merecerá ser logo degustada. E na próxima colheita todo começará novamente.

arriba
  home

grafico
grafico
grafico